0

MENINGITE: UMA DOENÇA INFLAMATÓRIA ALTAMENTE NOCIVA

Conheça os sintomas, causas e meios de prevenção.

Imagem ilustrativa.

Imagem ilustrativa

A meningite é uma doença causada por uma infecção nas meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Essa inflamação pode ser causada por alguns agentes: bactérias, vírus ou fungos que, quando se proliferam, contaminam todo sistema nervoso central e levam a uma série de complicações e enfermidades que podem ser letais. Pode ser também causada por agentes tóxicos.

É necessário estar alerta aos sintomas, já que todos os agentes têm as mesmas manifestações de início e são facilmente confundidas com gripes ou crises de enxaqueca. Os sintomas são: febre alta, vômitos, dor na cabeça e no pescoço, mal-estar e dificuldade de encostar o queixo no peito. Em alguns casos, aparecem manchas arroxeadas que significam que as bactérias estão circulando pelo corpo, ou seja, há uma rápida disseminação da doença pelo organismo, causando uma infecção generalizada.

Assim que quaisquer sinais começarem a surgir, a orientação médica é indispensável, mas um aviso de extrema relevância que precisa ser passado é sobre a automedicação. Quando o paciente começa a se medicar sem certeza do que está cuidando acaba mascarando a doença por algum tempo. Ao amenizar os sintomas, sem curar a doença de fato, gera diversas complicações.

Além de tudo, a doença é altamente contagiosa, principalmente a viral e a bacteriana, seja via gotículas de saliva ou secreções expelidas por infectados. É importante lembrar que não é preciso estar com meningite para transmitir a meningite.

Para cada tipo da doença, há um tratamento específico. É necessário a realização de um exame do líquido cefalorraquidiano para diagnosticar qual agente infeccioso está presente no organismo. O tratamento geralmente é feito com anti-inflamatórios, antitérmicos e antibióticos, que em geral funcionam bem, mas devem sempre ocorrer sob supervisão.

Em todos os casos, a prevenção é o melhor remédio. Detectar e tratar os casos rapidamente evita a epidemia da doença. Também existem vacinas de prevenção, fundamentais. Outras maneiras de prevenir são: evitar aglomerações, manter os ambientes ventilados, manter uma boa higiene dos ambientes, higienizar bem as mãos e os alimentos.

Fonte: https://www.pfizer.com.br/sua-saude/Meningite

0

Doença contagiosa em bebês e crianças tira sossego dos pais

850_400_99292-doctor-examining-a-baby_1536362610

Imagem ilustrativa

A doença mão-pé-boca é uma enfermidade contagiosa que costuma aparecer com frequência no outono. Embora possa acontecer em adultos, ela é mais comum na infância, antes dos cinco anos de idade. Os sintomas são febre alta, aparecimento de manchas vermelhas na boca, amídalas, faringe e erupção de pequenas bolhas nas palmas das mãos e nas plantas dos pés. A doença tem preocupado os pais por surgir com frequência nas escolas e creches.

Caracterizada pelo vírus Coxsackie, da família dos enterovírus, eles habitam normalmente o sistema digestivo e podem provocar estomatites (espécie de afta que afeta a mucosa da boca). O período da incubação oscila entre um e sete dias. Na maioria dos casos, os sintomas são leves e podem ser confundidos com um resfriado.

Os pais devem ficar atentos pois as estomatites podem evoluir para ulcerações muito dolorosas, além de desenvolverem outros sintomas como diarreia, vômito e dor de garganta. A criança também pode ter muita salivação e dificuldade em engolir. É necessário cuidado redobrado para mantê-la hidratada e bem alimentada.

Ainda não há uma vacina de prevenção para a doença, porém ela tem tratamento. Em geral, como ocorre em outras infecções por vírus, ela regride espontaneamente depois de alguns dias. Na maioria dos casos, o tratamento é sintomático com antitérmicos e anti-inflamatórios. Os medicamentos antivirais são usados apenas em casos mais graves.

O ideal a se fazer, no período da doença, é que a criança permaneça de repouso, ingira muito líquido, se alimente bem e faça o tratamento indicado pelo médico, apesar das dores e contratempos. Lavar bem as mãos antes e depois de lidar com a criança doente também é de extrema importância, o vírus vive por até 4 semanas pelas fezes mesmo depois da recuperação. É importante que o hábito de higiene seja implantado para evitar que a doença se espalhe ou se torne uma epidemia.

 

FONTE: https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/doenca-mao-pe-boca-hfmd/

0

Sintomas, transmissão e prevenção contra a dengue

Imagem ilustrativa

Imagem ilustrativa

 

Transmitida principalmente pela picada do mosquito Aedes Aegypti, a dengue é uma doença viral que que pode ser fatal. Também existem registros de transmissão vertical do vírus (da gestante para o bebê) e por transfusão de sangue.

Geralmente a manifestação inicial é marcada por sintomas de febre alta, que dura de dois a sete dias, com dores de cabeça, no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupções e coceira na pele. Perda de peso, náuseas e vômitos são comuns. Na fase febril inicial, pode ser difícil diferenciar a dengue de outras doenças virais. A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, sangramento de mucosas, entre outros sintomas.

Imagem ilustrativa

Imagem ilustrativa

Além da constante vigilância para manter todos os lugares sempre limpos, para eliminar possíveis criadouros, existem outras formas que ajudam na prevenção contra a dengue, enquanto a vacinação não é disponibilizada:

– Use roupas que minimizem a exposição da pele durante o dia, quando os mosquitos são mais ativos;

– Use repelentes e inseticidas, seguindo as instruções do rótulo;

– Mosquiteiros proporcionam boa proteção durante o sono, principalmente aos bebês;

– Coloque telas em portas e janelas.

 

0

Outono: cuidados básicos para reduzir os sintomas de doenças respiratórias e alergias

Desde o dia 20 de março, o hemisfério sul entrou em uma das estações mais queridas pelos brasileiros: o outono. Com temperaturas mais amenas, especialmente a noite, a estação conta com um clima agradável durante todo o dia.

cuidados básicos para reduzir os sintomas de doenças respiratórias e alergias

Entretanto, com a baixa da umidade relativa do ar nesse período, a queda de temperatura, um nível maior de poluição atmosférica e o compartilhamento de espaços fechados, devido ao clima tornar-se mais frio, a incidência de doenças transmitidas pelo ar aumenta.

Os principais problemas respiratórios são gripes, resfriados, pneumonias, asma e alergias respiratórias, entre outras doenças.

Em entrevista ao Blog da Saúde, a pneumologista Maria Luiza Dórea, do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), destacou que pessoas com doenças crônicas relacionadas ao tabagismo, por exemplo, costumam sofrer mais.

Por isso, alguns cuidados básicos e rotineiros podem auxiliar na redução dos sintomas e ataques, principalmente os alérgicos.

As principais dicas para esta estação são as seguintes:

– Evite lugares com aglomerações;

– Mantenha a casa e os ambientes arejados;

– Lave as mãos com frequência;

– Beba muita água;

– Consuma frutas como a laranja, maçã, uva e outras;

– Evite carpetes e cortinas, principalmente se for alérgico;

– Nunca faça automedicação;

– Mantenha sua vacinação/medicação em dia;

– Se sentir os sintomas, consulte um médico.

Adote essas medidas e aproveite o melhor que o outono pode oferecer.

 

Fonte: Blog da Saúde, Hospital São Camilo, Terra Saúde

 

0

5 cuidados para você aproveitar o carnaval sem preocupações

promocao-carnaval

“Ó abre alas, que eu quero passar…”

Uma das épocas mais festejadas pelos brasileiros está chegando. O carnaval começa neste final de semana e promete muita festa e folia nas avenidas e nos bloquinhos.

Para certificar a diversão, é preciso tomar alguns cuidados com a sua saúde e garantir o seu pique. Afinal, ninguém quer perder nenhum minutinho de festa por causa de imprevistos, né?

Então siga as dicas e aproveite muito o carnaval!

1 – Protetor solar para todo lado

As festas de carnaval costumam durar por horas e, normalmente, embaixo de um belo sol de verão. Então, abuse do protetor solar. Pode passar no rosto, nos braços, na barriga, nas pernas e nos pés. Você não vai se arrepender!

 

2 – Pode beber água sim

Muita gente gosta de curtir uma cervejinha ou uma caipirinha durante a folia, mas não esqueça da nossa fiel escudeira: a água mineral. Lembre-se que o álcool desidrata, então intercale os drinks com a hidratação e curta a sua festa cheio de energia.

3 – Use maquiagem leve

Apesar de ser um momento de fantasias e cores, busque por maquiagens mais leves e simples para animar a sua festa. Exagerar muito com pigmentos pode atrapalhar a respiração da sua pele por muito tempo e acabar causando alergias, irritações e infecções.

4 – Conforto é tudo

Usar fantasias, penas e plumas é divertido, principalmente quando é confortável. Provavelmente serão muitas horas em pé, dançando e muito calor, então abuse de roupas leves e frescas, inclusive aquele sapatinho megaconfortável e que o seu pé já conhece muito bem.

5 – Alimentação também tem hora

Vale dançar sem parar, mas lembre-se da alimentação. Escolha alimentos mais leves, principalmente frutas, mas refeições reforçadas para recarregar as energias.

*Extra: O GLITTER TÁ LIBERADO!